terça-feira, 28 de dezembro de 2010

Pensamento do Dia

Homem quer uma mulher que seja dele; mulher quer ser de um homem!

Eu o amo e ele me ama, por que não estamos juntos?

Com certeza você conheceu ou conhece duas pessoas que tinham tudo para formarem um casal feliz, mas por que não deu certo? O que faltou se ambos se amam? Bem minha amiga, a vida a dois não é bem assim e, infelizmente, só o amor não é suficiente para segurar uma relação. Imagine duas pessoas totalmente desconhecidas acabam se unindo para viverem juntas. Precisam dividir o mesmo espaço e aí o problema começa. Cada um precisa ceder, adaptar-se, suportar, ouvir, calar, adequar seus costumes, às vezes omitir, outras vezes fingir, ser auto-suficiente e dependente, ser palhaço e ser sensato, tem que suportar crises, tem que esperar, tem que se apressar..... sim queridas, viver a dois não é algo simples. Portanto, se você esta pensando em preparar-se para estar continuamente com alguém ou quiser continuar com este alguém reflita se você esta preparada para isso. Observe que em nenhum momento eu usei o termo “mudar” e não espere que isto ocorra, pois ninguém muda. Somos o que somos e nos mostramos como queremos. Se alguém mudou depois que você passou a estar com ele, significa que você não o conhecia o suficiente. Se para “ficarem juntos” todas essas características são exigidas é porque oferece muito. Aqueles que já vivem ou viveram a experiência de estar com alguém sabem que tudo isso é muito bom mesmo. Por isso, veja se você esta preparada ou se prepara para ter alguém. Se você achou muito complexo posso resumir em uma frase: para viver com alguém você precisa ter e saber o que é RESPEITO! NELSON DE MELLO

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Pensamento do Dia

A vida é arte do saber, quem quiser saber tem que viver. Ritchie

Quando a mentira faz bem

        Se pararmos para pensar em como as pessoas conseguem viver juntas chegaremos a uma resposta: tolerância. Que nada mais é que a capacidade de conviver com alguém que não necessariamente, concorde com o que você pensa e faz. No entanto, isso não interfere naquilo que vocês fazem de maneira semelhante.

        Se passarmos isso para os relacionamentos perceberemos que conseguimos viver juntos porque mentimos. Não são aquelas mentiras maldosas ou traições, mas sim, aquelas que não trazem problemas tipo: “já estou pronta amor” e demora mais 40 minutos ou então “só estava o pessoal do trabalho” e tinha mais um monte de gente. Logo, essas são situações nas quais a omissão acaba por reduzir a possibilidade de um atrito desnecessário. Você não fala tudo o que pensa das pessoas ou então, tudo o que acha sobre alguma atitude delas, pois isso poderia causa rancores e não traria modificações no modus operandi dela. Por isso, esta mentira é saudável, pois faz com que tenhamos uma melhor convivência. O problema aparece nas horas em que a emoção toma conta das atitudes, ou seja, na hora da raiva. Nessa hora fala-se o que não se deve, o que não se pensa e o que não se deseja. Alguns dizem que nessas horas é que somos verdadeiros! Ai eu pergunto, de que vale falar estas verdades? Ajuda em algo? Na realidade estas ditas “verdades” não o são. Imagine se você realmente pensasse sobre uma pessoa tudo o que você fala dela ou para ela em um momento de raiva. Jamais conseguiriam viver juntas.
        Por isso, eu digo que estas mentiras fazem bem ao relacionamento impedindo que detalhes acabem minando uma relação. Então quando um homem encontra uma amiga no restaurante e não diz para a namorada porque ela é ciumenta, não significa que ele esta escondendo, mas sim evitando dissabores. O mesmo ocorre quando a mulher compra um vestido novo e diz que “foi uma pechincha”, mas não revela o valor.
        Na natureza temos um monte de “mentiras” ou enganos que fazem os seres sobreviverem, desde o balançar o rabo de uma serpente para atrair um rato até camuflar-se para não ser percebido e devorado por um predador. Por isso, desde os peitos com silicones (que ficam lindos) passando pelas maquiagens e roupas até a compra de um carro em 60 vezes, fazem parte do roteiro de pequenos enganos que usamos para atrair, sobreviver e manter um relacionamento satisfatório. Logo não se culpe se acaso omites algo, pois isto fará um bem maior na seqüência. Pense nisso! NELSON DE MELLO

domingo, 19 de setembro de 2010

Pensamento do Dia

Homem é igual lance de leilão: quem dá mais, leva!

Dar não é fazer amor!


NÃO TENHO COSTUME DE POSTAR TEXTOS DE OUTROS AUTORES. NO ENTANTO, ESTE, DO VERRÍSSIMO, TRADUZUI MUITO MINHAS IDÉIAS.

DAR NÃO É FAZER AMOR
Dar é dar.
Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido.
Mas dar é bom pra cacete.
Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca...
Te chama de nomes que eu não escreveria...
Não te vira com delicadeza...
Não sente vergonha de ritmos animais. Dar é bom.
Melhor do que dar, só dar por dar.
Dar sem querer casar....
Sem querer apresentar pra mãe...
Sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.
Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral...
Te amolece o gingado...
Te molha o instinto.
Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.
Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã.
Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.
Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem
esperar ouvir futuro.
Dar é bom, na hora.
Durante um mês.
Para os mais desavisados, talvez anos.

Mas dar é dar demais e ficar vazio.
Dar é não ganhar.
É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.
É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir.
É não ter alguém pra querer casar, para apresentar pra mãe, pra dar
o primeiro abraço de Ano Novo e pra falar:
"Que que cê acha amor?".
É não ter companhia garantida para viajar.
É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia.
Dar é não querer dormir encaixadinho...
É não ter alguém para ouvir seus dengos...
Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.
Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor.
Esse sim é o maior tesão.
Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar
Experimente ser amado...

(Luis Fernando Veríssimo)

quarta-feira, 4 de agosto de 2010

segunda-feira, 26 de julho de 2010

A culpa é delas!


Muitas vezes ouvimos as pessoas falando que as famílias de hoje não são mais as mesmas e que, a depressão moral e de valores na qual nosso mundo está inserido demanda desta desestruturação familiar. Concordo que a maior parte da demanda de problemas sociais relacionados com a lei e a violência desenfreada que assola nossa sociedade é oriunda da quebra da unidade familiar. Mas quem está causando isso? Ouso responder que a culpa é da mulher! Antes que você pare de ler e exclua este blog dos teus favoritos vou explicar: nos últimos 50 anos, estamos assistindo a uma emancipação da mulher dos laços “protetores” e “dominantes” dos homens, bem como, uma ascensão intelectual fantástica da mulher e com isso sua inserção dominando o mundo dos negócios. Esta ânsia da mulher em ocupar o seu merecido espaço na sociedade, tem um custo social enorme que é a abdicação da educação dos filhos. Logo, eles estão sendo educado s pela televisão, babas, monitores e cuidadores sem os parâmetros de limites, ética e costumes morais. Não estou propondo aqui que as mulheres “abram mão” do sonho de serem pessoas de sucesso na vida profissional. Só acho que isso veio rápido demais, pois até poucos dias elas estavam educando filhos para serem extremamente machistas (leia a postagem: o que o machismo está produzindo) e os preparando para um mundo dominado por homens. Só que agora, ela está sentindo na pele o erro que cometeu: criar o macho sem prepará-lo para aceitá-la como bem sucedida. Com isso, ela acumulou a tarefa de educação dos filhos, chefe de família e ótima profissional e, embora consiga fazer muitas coisas ao mesmo tempo, o sucesso não está acontecendo em todos os campos. Portanto, se a mulher tivesse educado os filhos para aceitarem a ascensão da mulher, elas teriam preparado os ”machinhos” para aceitarem isso como uma verdade e prepararem-se para a educação e cuidado dos filhos, bem como todas as outras tarefas que eram exclusivas das mulheres. Por isso, quando digo que a culpa é delas, pondero sobre a não preparação do caminho delas para sua própria ascensão. Não obstante, ainda há tempo para salvar as próximas gerações. Não proponho a volta ao estado primitivo de cuidado do lar, mas sim da educação do adulto que compartilha o seu espaço, ensinando a este que a vida é compartilhada em todos os momentos e que a obrigação de um pai ou companheiro não é meramente pagar uma pensão ou suprir a casa, mas sim compartilhar tempo e sentimento para criarem melhores filhos para o mundo. NELSON DE MELLO

terça-feira, 15 de junho de 2010

Por que temos medo de amar?


Muitas pessoas comentam comigo que não se deixam apaixonar para não sofrerem! Então eu penso e dependendo da pessoa eu falo “coitada”! Pois a melhora forma de viver uma emoção é vivendo uma paixão e, o êxtase vem com o envolvimento e a entrega. Vivemos em uma sociedade que supervaloriza o equilíbrio de todos os lados, mas amar não é desequilíbrio, é vida.
Não verdade, as pessoas dizem que paixão é para fracos, então eu contesto, paixão é para fortes que não têm medo, para quem arrisca para quem vive. Se você tem medo de se asfixiar com a poluição não respire! Então só sofre quem vive e só vive quem ama. Por isso não se sinta envergonhado de estar apaixonado de parecer idiota, é melhor parecer idiota e amar do que parecer sóbrio e sofrer. Antes um idiota feliz do que um sóbrio infeliz. Não tenha medo de dize “eu te amo” mesmo que pareça piegas, de passear no parque mesmo que seja cafona. Tome sorvete, passeie, vá o cinema, ande de mãos dadas. A vida é uma só, não vai dar tempo para fazermos todas as coisas certas. NELSON DE MELLO

Pensamento do Dia

Ame sem medo, viva sem culpa!

Até onde podemos ir?


Muitas vezes aconselhamos as pessoas dizendo que elas estão fazendo demais por um suposto amor. Usamos a expressão: “pra que se humilhar tanto?” Então eu pergunto, até onde podemos ir por um amor? Os românticos diriam até o infinito, os racionais até o primeiro não, os sentimentais até a morte, mas e os normais, aqueles que amam, sentem, vivem e sofrem iguais a todos? Quisera eu saber a resposta. Mas ao menos posso ponderar sobre algumas coisas. Não podemos forçar ninguém a nos amar, ou forçar alguém a permanecer do nosso lado contra a vontade, se assim o fizermos seremos dois infelizes. Então quando é a hora de acabar? Faça uma conta simples: ele esta te dando mais prazeres ou sofrimentos? Pronto, você já sabe o que fazer. Mas não vem com a história, “quando ele quer ele é tão bonzinho!”. Isso é mais uma razão, se ele não é mais bonzinho é porque ele não quer mais. Não disse que é fácil ou simples, mas é necessário. Precisamos saber quem somos e o que queremos. Se ajude e comece a pensar, será que ele merece tudo o que lhe ofereço? Vá em frente e boa sorte! Mais uma vez lembre-se de Fernando Pessoa que diz: A dor é inevitável, mas o sofrimento é opcional. NELSON DE MELLO

sábado, 15 de maio de 2010

Pensamento do Dia

A mulher que se preocupa em evidenciar a sua beleza anuncia ela própria que não tem outro maior mérito. Julie Lespinasse

O que é rápido é intenso



Você já não se perguntou por que certas coisas que são intensas acabam tão rapidamente?
Parece que a resposta esta intrínseca na própria pergunta, por ser rápida é intensa.
Sempre que vivemos algo com muita intensidade, como a paixão, a tendência é a autofagia e um fim precoce. Não estou dizendo que tudo o que é intenso acaba logo, pode não acabar jamais, porém, reduz a intensidade por questões lógicas e naturais (vide: pra que serve a paixão, neste blog). Deixe-me tentar dar um exemplo que talvez esclareça um pouco, ou não. Até hoje não ouvi nenhuma pessoa que conheceu a cidade de San Francisco (California, EUA) e não falou que ficou encantada com suas maravilhas. A Golden Gate Bridge, Lombarde Street, Cable Car Ride, Alcatraz e outras belezas a tornam uma das cidades mais visitadas da costa oeste americana. Além disso, quando as pessoas lêem sobre a iminência do desaparecimento da cidade causado por um terremoto (pois está localizada próxima da “San Andreas Fault” uma falha geológica famosa por produzir terremotos de grandes intensidades), a cidade torna-se mais atraente ainda, pois pode ser a ultima vez que a visitemos. Porém, como nós sabemos que algo acabará e por isso, vivemos intensamente? Quem me dera responder ou explicar esta questão. Portanto, já que não sabemos, vamos viver todos os encontros e todos os momentos como se fossem únicos (e de fato são) não deixando que a nossa razão nos tire o melhor da vida por medo de arriscar (parece auto-ajuda não é?). Vamos aproveitar o momento com a pessoa que escolhemos, vamos viver este momento como se não tivéssemos outra oportunidade de estamos juntos, assim conseguiremos viver intensamente nossas alegria e reduzir as frustrações. Estar com quem nos dá prazer é incrivelmente maravilhoso, entretanto, muitas vezes não valorizamos estes momentos e deixamos que insignificâncias (implicâncias) acabem por causar mal estar em vez de prazer e contentamento. Fale do seu amor da sua paixão e viva o seu sentimento como se fosse a primeira e a última vez, sempre! Sei que estou sendo otimista demais, mas não custa tentar. Boa sorte! NELSON DE MELLO

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Pensamento do Dia

A beleza das coisas existe no espírito de quem as contempla. David Hume

Como nos construímos nos relacionamentos


Como nos construímos nos relacionamentos? Será que chegaremos à perfeição de aceitarmos os defeitos de nossas (os) parceiros (os) e entendermos que somos diferentes?
Não tenho respostas para estas questões, mas vou tentar ilustrar com a adaptação de uma fábula que ouvi certe vez.
Você já foi à nascente de um rio? Se não foi, vou tentar descrever como seria. Sempre é em um local com muitas plantas e rodeado de pedras. As pedras que oferecem resistência ao curso d’água são as mesmas que as protegem, no entanto, são pedras grandes com superfícies planas e muitas arestas. A medida que nos afastamos da nascente, vamos vendo algumas mudanças nas pedras do caminho, principalmente as pedras que estão no leito do rio. Estas pedras já não são tão grandes, pois são arrancadas das margens e empurradas pela força da água e, no atritar com outras pedras vão perdendo suas arestas, arredondando suas formas para serem levadas com mais facilidade. E isto acontece, principalmente, onde tem mais correnteza e os atritos são mais fortes. Não obstante, nessa parte encontramos as pedras com as melhores formas.
Assim também é nossa vida. Os relacionamentos que temos, sejam sentimentais ou não, servem para aparar nossas arestas e diminuir nossos pontos de atrito brusco para podermos transitar (conviver) com pedras (pessoas) de todos os tipos sem que estas nos causem mal. Portanto, se você acha que um relacionamento lhe tirou algo, veja se este algo, apenas não lhe tirou uma aresta que lhe impedia de conviver melhor com outra pessoa ou consigo. Verdadeiramente somos como pedras carregadas pela água e estamos constantemente “enroscando” em outras pessoas, a forma que estivermos é que nos fará sofrer ou regozijar com os atritos que tivermos. As pedras não precisam de encaixe para estarem juntas, mas se elas estiverem com muitas arestas uma marcara a outra e ambas serão feridas. NELSON DE MELLO

domingo, 11 de abril de 2010

Pensamento do Dia

Toda a atenção tem uma reação, preste atenção e verá!

Quando a justiça não vale tanto



Alguns acontecimentos dos últimos dias nos fazem ter um sentimento de justiça, ou na verdade mais que isso, um sentimento de vingança, pois gostaríamos de dar ao acusado o mesmo que ele supostamente, ou realmente, causou a sua vítima. Está é a justiça humana desde o alvorecer da história, sempre queremos que os outros sejam pagos na mesma moeda, principalmente quando somos vítimas. Ou seja, é “olho por olho dente por dente”. Já falou Ghandi: “se todos ficarmos no olho por olho e dente por dente a humanidade acabará cega e banguela”. Mas então, eu estou dizendo que não devemos fazer justiça? Não. Acho que a sensação de justiça é que faz sermos tolerantes na sociedade ao saber que se praticarmos algo errado pagaremos por isso. Mas o que é melhor que a justiça: a vingança? Não, absolutamente! O que é mais importante que a justiça é o perdão. Isso porque o perdão liberta tanto a vítima quanto o algoz. Por que a vitima precisa ser libertada? Pelo rancor que guarda, pois muitas vezes ficamos remoendo formas de nos vingarmos de nossos agressores de maneira cabal, e isso nos corrói e nos amarga. Quando atingimos a plenitude da grandeza e conseguimos perdoar tornamo-nos pessoas plenas sem rancores e livres das mazelas de sentimentos negativos. Perdoar significa esquecer, limpar redimir e se redimir. Quando perdoamos estamos deixando o mal que o problema nos causou, não obstante, se o mal foi social o acusado deverá pagar socialmente o que fez, mas o fará com o coração aberto e a cabeça leve, isso é a justiça. Portanto, a capacidade de perdoar não á para qualquer um, mas todos precisam praticar para conseguir chegar a plenitude e a altivez do perdão. A melhor forma de sabermos se conseguiremos tal atitude é começando. Talvez seja a hora de você pensar em perdoar algumas pessoas, principalmente você mesmo, só que isto é uma outra história. Então tente perdoar, se você não se sentir melhor que antes, precisa aprender muito para poder viver feliz. Então muitas vezes o perdão é mais importante que a justiça. Boa sorte! NELSON DE MELLO

Pensamento do Dia

O mundo gira. Por isso, mesmo ficando parado uma hora você irá rolar.

O que nos faz diferentes de outros animais?



A resposta para esta pergunta é fácil: todos dirão que é o raciocínio!
Isso é soberano, no entanto, gostaria de falar sobre uma característica que também é exclusivamente nossa, a solidariedade. Alguém já poderá dizer “como, se o ser humano é o único que mata outro da sua espécie sem motivos?”. Também não esta de tudo errado, mas tentarei mostrar como somos diferentes.
Em varias espécies de animais a caça é feita em grupo. São feitos planos e todos fazem sua parte na captura da presa que, após ser abatida será devorada, e aí, “quem pode mais chora menos”. Contrariando isso vou relatar uma experiência que tive há alguns anos. Viajava pelo interior do Brasil, mais especificamente o norte de Minas Gerais no Vale do Jequitinhonha, uma das regiões mais pobres do país. Nessa região as pessoas vivem tal qual animais, quando observamos as características sociais. Vivem tentando conseguir comida para hoje; amanhã darão um jeito. Naquele período não existiam os programas governamentais de ajuda e com isso pude constatar um fato que comprova o que afirmei.
Observei uma família onde uma mãe com não mais que 40 anos tinha 4 filhos e dois netos que viviam em um barraco. Naquele dia havia apenas 0,5 kg de feijão o qual ela cozinhou e distribuiu para os filhos e netos com um pouco de farinha e, ela mesma deixou de comer a fim de sobrar mais para as crianças. Esta era a realidade de muitas famílias daquela região e com certeza, de outras partes do Brasil. Mas algo me chamou atenção. Naquele dia ela ganhou uma cesta básica onde continha alimentos para ela e suas crianças ao menos por 20 dias. Imaginei que ela não se preocuparia durante este período, mas fiquei “de queixo caído” pelo que vi: ao receber a cesta ela chamou duas vizinhas que viviam em semelhante condição e dividiu o recebido com elas e todos tinham comida por 3 ou 5 dias. Ou seja, ela dividiu a miséria, preferiu que todos comessem por alguns dias do que ela e sua família por muitos mais dias. Você acha que algum outro animal teria esta capacidade? Por isso, acredite nas pessoas até que elas mesmas lhe provem o contrário. Isto é solidariedade!
NELSON DE MELLO

sábado, 6 de março de 2010

Pensamento do Dia

A ignorância é a chave da felicidade!

Por que dia da mulher?


Por que dia da mulher?
Nos próximos dias muitas mulheres receberão flores e ficarão felizes pelas homenagens devido ao dia internacional da mulher. Mas será que precisaria ter tudo isso para que as mulheres fossem reconhecidas? Com certeza não! Por acaso existe dia do amor, dia do perdão, dia do carinho, dia da paz, dia da doação, dia da alegria, dia da meiguice, dia da paciência, dia da dedicação, dia da cumplicidade? Não existe, então, mulher é tudo isso. O dia da mulher é o agora, o amanhã o sempre. Mulher tem que ser homenageada, idolatrada, amada e admirada todos os dias. Não precisa mandar flores, basta ouvi-las; não precisa comprar presentes, basta carinho; não precisa se ajoelhar, basta sorrir. Embora todas essas atitudes deixem as mulheres fascinadas, são os detalhes que deixam as mulheres apaixonadas, orgulhosas e poderosas. Homem não tenha vergonha de expressar isso todos os dias para as mulheres da tua vida. Mulher não tenha vergonha de se sentir assim todos os dias com os homens da tua vida. Para quem acha que estou exagerando, pense um pouco em como seria o mundo sem mulher! Recuso-me a pensar nisso! Então só posso agradecer todos os dias pela existência deste ser que nos faz completos e que nos suplementa com os melhores sentimentos e atitudes do mundo. Homem: deixe o orgulho de lado e agradeça às mulheres que estiverem ao seu lado por tudo o que elas fazem por você, mesmo aquelas coisas que você odeia, isso lhe ajuda a ter controle. Mulheres para vocês hoje e sempre, obrigado por existirem. NELSON DE MELLO

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Pensamento do Dia

O amor de verdade se manifesta nos detalhes e não na grandiosidade

O que é o amor




Embora a ciência tente explicar e eu tente entender, jamais conseguiremos compreender o poder, a magia, a inconstância, a inconseqüência, a pureza ou a loucura que é este sentimento.
Artistas escreveram, cantaram, pintaram, esculpiram, filmaram ou ensaiaram sobre ele; filósofos lucubraram, psicólogos tiveram “insight”, cientistas fizeram experiências, mas apenas os que amaram ou amam conseguem sentir o que é o amor. Talvez não consigam descrevê-lo, pois pode ser inexplicável, inenarrável, incomensurável, inesquecível enfim, faltam adjetivos para classificá-lo.
Mas porque classificar se o que importa é sentir. Sentir que existe algo que nos faz melhor, nos anima, nos eleva, nos ajuda e nos faz viver. Sim viver, só vive quem ama, seja o que for que ame o amor é que te manterá vivo. Mesmo que o inexorável tempo acabe por reduzir ou subtrair toda a essência do sentimento, as lembranças restarão, e todas as vezes que as congruências neurais ativarem os recôncavos cerebrais acidentalmente ou a procura de bons momentos o amor florescerá em fascinantes reminiscências elevando o ser novamente a plenitude da alma.
Por isso, mesmo não entendendo ou sabendo que nunca entenderei o melhor que posso fazer é incentivar as pessoas a amar, a sentir o amor, a viver o amor, a viver pelo amor. NELSON DE MELLO

Pensamento do Dia

A fórmula da juventude é a forma de agir; se agires como velho serás velho...

Como provar o amor



Muitas vezes ficamos tentando saber se a pessoa que amamos nos ama ou acredita em nossos sentimentos. Qual a melhor forma de demonstração de amor? Uma vez escrevi sobre a forma de demonstrar eu “te amo” através da satisfação das necessidades do outro sobrepujando, muitas vezes, nossa própria. No entanto, o que poderíamos dar para demonstrar nosso amor? Eu penso que apenas uma coisa é nossa, exclusivamente nossa, o tempo. Este é nosso mesmo, não podemos comprar tempo de ninguém e acrescentarmos ao nosso, não podemos vender tempo, podemos apenas gastá-lo. Podemos presentear alguém com objetos caros, jóias, roupas, viagens, mas isso qualquer pessoa pode dar, mesmo não tendo sentimentos. Por isso, penso que a melhor forma de demonstração de amor é O TEMPO QUE DEDICAMOS PARA A PESSOA AMADA. Quanto tempo usamos fazendo algo para satisfaze-la, quanto tempo passamos com ela, quanto tempo ficamos pensando nela. O tempo é próprio não volta, não recuperamos tempo perdido, portanto se você tem alguém que diz que te ama, pense se este alguém esta gastando tempo com você ou esta comprando coisas para você. Ganhar presentes é bom, mas o melhor é ter um tempo da pessoa que amamos, mesmo que seja apenas para gastarmos o nosso tempo estando ao lado dela. Se isso acontecer não há necessidades de repetirmos inúmeras vezes “eu te amo”, pois a pessoa amada ira sentir isso e não apenas ouvir. Então, veja se não esta usando o seu tempo em coisas menos importantes e pode estar deixando de usar o seu tempo com as pessoas que você realmente ama. Portanto a única coisa minha que posso dar a alguém é o meu tempo. NELSON DE MELLO